top of page
  • Foto do escritorQuase Cinema

Atualizado: 26 de set. de 2023

A hora é chegada! De parir esse "filho"! Com muita emoção e expectativa, aguardávamos ansiosos por esse dia. Fazer o espetáculo revelar sua essência , entender como o público iria reagir e interagir, além desse lugar do risco em que a gente se coloca toda vez que apresentamos na rua (e que a gente adora!).


5 visualizações0 comentário
  • Foto do escritorQuase Cinema

Depois de todo esse processo empírico, filosófico e sócio-político, chegou a hora de "bater cabeça" e colocar tudo no papel, organizar, selecionar e decidir que direção queremos tomar, o que queremos abordar e de que forma. Transformar em cena, procurar os materiais a serem utilizados, dimensionar as luzes e os bonecos (silhuetas) e trazer o corpo e a sonoridade como parte fundamental desse processo da criação do espetáculo.


0 visualização0 comentário
  • Foto do escritorQuase Cinema

Atualizado: 29 de mai. de 2023

Tivemos a oportunidade de fazer um intercâmbio em Senegal, mais precisamente em Dakar. Foram encontros inesquecíveis e um reconhecimento de uma cultura que está em nós. Estivemos em contato com a Universidade Cheik Anta Diop. A primeira e mais importante universidade do Senegal e que leva o nome de um dos mais célebres pensadores do país, pudemos entrar em contato com parte da sua vasta obra que nos afetou profundamente. Ali conhecemos pessoas incríveis e jovens extraordinários!


Também trocamos experiências com um grupo de teatro chamado Kadu Yaraaxx. Nossa maior surpresa foi chegar ao espaço deles e descobrir que pesquisam o teatro de Augusto Boal há mais de 30 anos! Utilizando de seus conceitos para trabalhar com a comunidade local, o "acaso" não poderia ter nos reservado um encontro mais potente que esse.


Visitamos a Ilha de Goreé, onde fica a Casa dos Escravos, entreposto de escravos, patrimônio da UNESCO sobre aquilo que deve ser preservado como memória do horror de um tempo que não tem retorno, onde até hoje tentamos curar essa ferida.



Nas ruas, sentimos a vida pulsando e sua proximidade com o nosso povo, da sua hospitalidade, que chamam de Teranga, da sua alegria, da musicalidade, o corpo, a dança, estamos distantes mas ao mesmo tempo muito próximos.

2 visualizações0 comentário
bottom of page